Chico Sardelli - Um homem de bem que acredita no valor das pessoas

Chico Sardelli é um homem público presente e atuante, com vasta experiência na conquista de soluções para as necessidades das cidades paulistas. Desempenhou com seriedade cinco mandatos como deputado, sempre atento aos apelos dos cidadãos por serviços públicos eficientes.

Seu trabalho ético focado no bem-estar coletivo continua graças ao conhecimento adquirido em mais de 30 anos de vida pública. A experiência conquistada e o reconhecimento como homem público influente e estimado no meio político levaram Chico Sardelli a ser reconduzido vice-presidente estadual do Partido Verde para o segundo mandato consecutivo.

+ de 130

Projetos

+ de 40

Leis Aprovadas

Você sabia?

Corregedor e Presidente

Sardelli foi eleito 1º Vice-presidente da Assembleia Legislativa em 2013 e assumiu a presidência da Casa de Leis paulista no início de 2015. No mesmo ano também desempenhou a importante função de Corregedor da Assembleia Legislativa.


CPIs

Sardelli atuou como presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investigou os acidentes ocorridos no transporte ferroviário de carga no Estado de São Paulo e foi vice-presidente da CPI das telecomunicações.



Líder

Coordenou a Frente Parlamentar em Defesa do Setor Têxtil e de Confecção do Estado de São Paulo, a Frente Parlamentar em Defesa das Guardas Municipais e a Frente Parlamentar pelo Fortalecimento do Trabalho Rural e Sustentabilidade da Assembleia Legislativa. Sua experiência na liderança da Frente Têxtil por três mandatos consecutivos o levou a ser convidado a integrar o grupo como colaborador em 2019.

Reconhecido

Em 2000 assumiu como deputado federal pela primeira vez, exercendo o mandato até 2003. No mesmo ano, foi nomeado chefe do escritório do Governo do Estado de São Paulo em Brasília, função que exerceu até maio de 2004. Em abril de 2005 voltou a desempenhar a função de deputado federal. Foi eleito deputado estadual em 1º de outubro de 2006; reeleito em 2010, para o mandato de 2011 a 2014 e, entre 2015 e 2019, exerceu o cargo pela terceira vez.